Quando a Iolanda chegou.

Maio 8, 2017

Eu não imaginava que fosse nascer dia 4 de Maio, muito menos que nasceria 3 horas depois dessas fotos.
41 semanas e 1 dia, e aquela ansiedade geral da galera.
Cheguei a pensar que não fosse nascer mais, que meu corpo adaptou a Iolanda tão bem que seríamos duas pessoas em um corpo só.
Olha o tamanho da loucura da menina aqui.
No hospital que fazia o Pré-Natal as gestações vão até 41 semanas, protocolo.
Eu pedi por mais dias, eu não queria induzir o parto, queria que ela escolhesse o dia e a hora de chegar, nem que demorasse mais 1 semana.
As contrações começaram as 10h da manhã, de um jeito manso que me fazia acreditar que ela logo chegaria, mas não na quinta-feira.
13h da tarde, as contrações começaram a ritmar, eram como ondas que vinham e voltavam, com intervalo de 5 minutos e com duração de 1 minuto cada.
14h da tarde, comecei a vocalizar a dor e prestar atenção na minha voz, já tinha lido sobre auto hipnose e deu muito certo.
Eu conseguia encarar as contrações sem medo, sem pânico e sem tanta dor, pq sabia que quando ela chegasse eu me concentraria nela.
Me concentrar fez com que a fase ativa chegasse voando, eu não perdi o foco, eu apenas queria mais.
Em casa, me ajudando como anjo, minha tia Vanessa, que sempre foi mais irmã que tia, me deu toda calma, todo amor, toda entrega.
Eu posso garantir que tudo seria muito difícil sem ela por perto, e que em toda vez que imaginava como seria o dia do nascimento da Lola eu imaginava ela comigo.
Não só ela, como a minha mãe também. Que me fazia rir, que me olhava com orgulho, que fechava seus olhos pra rezar por nós.
Meu Deus do céu, como eu amo minha mãe e como sou grata por tudo que ela fez e faz por nós.
E pra completar o time da casa, meu marido surreal, com sua paz surreal e com seu amor que transborda e me faz querer viver pra sempre ao lado dele.
Quando as contrações ficaram de 3 em 3 minutos por 1h corremos para o hospital.
A fase ativa chegou tão rápido que eu não tinha me preocupado em chamar a minha doula Flávia, eu achei que fosse demorar mais e desencanei.
Quando percebi já estava no hospital sem ela.
Cheguei na Gota as 16h, chorando.
Não de dor, de emoção.Era dia de conhecer a minha filha, estava pasma.
7 para 8 dedos de dilatação, subi correndo para as salas de parto.
Eu não tinha visitado o hospital, não fazia ideia do que ia encontrar e quando entrei no quarto me deparei com um playground de trazer nenens!
Bolas de pilates, banqueta, banheira, chuveiro.
Tudo lá pra me ajudar.
Preferi o chuveiro, e pra ser sincera nem imaginava que fosse querer água.
No parto da Amélie a água me tranquilizava tanto que tive que sair.
Em poucos minutos minha dilatação era total, e a minha técnica de auto hipnose já não garantia minha calma.
A fase de transição é aquela fase que você quer desistir de tudo sabe? Então comecei a achar que não ia conseguir.
Entrei na banheira, sentia uma dor insuportável no quadril, uma dor que nem sei mais descrever.
Chorava, respirava, vocalizava, apertava a mão da Bel ( enfermeira obstétrica maravilhosa que não deixou de olhar nos meus olhos nem por um segundo)e chorava de novo.
Quando achei que não fosse mais aguentar, apareceu ali na minha frente como se fosse um milagre de Deus a minha doula!
Não me pergunte como ela fez para estar lá, só sei que foi um sinal de Deus, dizendo : Zica, vai lá! ( só quem gosta de Emicida sabe…hahahhah)
Ela segurou minhas mãos e disse para eu ter calma, que a Iolanda estava chegando.
De repente a bolsa estourou e veio aquela vontade insana de empurrar.
Michel já estava de roupa e tudo dentro da banheira, umas 4 enfermeiras assistiam, olhei pra Flávia e falei que não aguentava mais nenhuma contração.
Ela então me disse pra fazer força, foi quando eu gritei. GRITEI FEITO LOUCA, e senti ela coroar e na mesma contração monstro ela nasceu.
Chorava e dava risada ao mesmo tempo, a primeira coisa que eu disse pra minha filha naquela banheira lotada de emoção foi: SUA SAFADA! rsrs!
Beijei minha filha com aquele vernix todo, abracei, e agradeci por tudo!
Assim que eu sai da banheira mandei todas as enfermeiras me beliscar, eu jurava que não era real.
Eu jurava que era sonho, eu não tinha noção.
Foram 3 horas de fase ativa para trazer minha filha ao mundo, sem induzir, sem usar anestesia ou analgesia.
Ela nasceu com 4105g e 52 cm, sem laceração.
Um parto como imaginei, mentalizei, intui.
Um sonho que foi sonhado junto com as pessoas que participaram desse dia inesquecível.
Obrigada, Deus!

(Essas fotos foram feitas em casa, minutos antes de eu sair correndo pro hospital.
Algumas foram feitas por mim, outras pela Vanessa, pelo Michel e minha mãe. Olhando essas fotos me dá uma saudade louca desse dia)

You Might Also Like

16 Comments

  • Reply Patrícia Ferreira Maio 8, 2017 at 7:57 pm

    Simplesmente lindo. Parabéns.

  • Reply Catarina Marques Maio 8, 2017 at 8:05 pm

    Que relato lindo!! As vezes até parece que a gente é da família, quando postou a última foto da barriga no instagram fiquei esperando ansiosa para ver logo uma foto da Iolanda!! Parabéns por essa nova vida. Ah e eu quase chorei com o vídeo dos três rsrsrs

  • Reply Fernanda Maio 8, 2017 at 8:13 pm

    Que emoção mais gostosa e que texto lindo!

    Muita felicidades a família toda e sejam bem vinda ao mundo Lola!

  • Reply Karla Lucatelli Maio 8, 2017 at 8:17 pm

    Chorei! que depoimento simples e emocionante.
    Muita saúde à vocês família linda que nem conheço mas considero muito 🙂 bjão

  • Reply Alice Maio 8, 2017 at 9:09 pm

    Chorei! Voces sao maravilhosos, que família linda.

  • Reply Isabela Ferro Maio 8, 2017 at 9:44 pm

    Uau! Viva aos partos respeitados! Parabéns 😉

  • Reply Isabela Dantas Maio 9, 2017 at 12:13 am

    Meu Deus! Nunca tinha me emocionado tanto com um texto seu, Maria. Mulher! Guerreira! Que coisa mais linda, que relato encharcado de amor, de luta, de vida ✨ te admiro muito mulher! Há anos te acompanho, te vi crescer nas redes sociais e hoje sigo admirando muito, fazendo muitos cafés cremosos e sorrindo com você e sua família! ❤
    Iolanda você já nasceu brilhando linda luz! Chegou com toda magia e mansidão. Que parto lindo! Parabéns!

  • Reply Camila Neves de Toledo Maio 9, 2017 at 12:28 am

    Eu estava lá, pari umas horas antes.. vi vcs por lá, ouvi seus gritos rsrs. Que bom que conseguiu a doula e o pai no parto, infelizmente tive que escolher, mas deu tudo certo!! muito legal ler seu relato. Parabéns!!!

  • Reply Raissa Lima Maio 9, 2017 at 3:56 am

    Que momento divino! Mais um relato lindo feito através dos seus olhos.
    Sou mais uma admiradora da sua forma de enxergar a vida com o coração.
    Obrigada por compartilhar conosco!
    Ps: agora na bio serás pássara-mãe de três pequenos.
    Toda luz e saúde pra vocês!!!
    Com carinho e respeito,
    Rai.

  • Reply Mariana Maio 9, 2017 at 1:18 pm

    Lindooooo. Deus continue abençoando vcs sempre. Sou fã. Beijão

  • Reply Talita Almeida Maio 9, 2017 at 1:41 pm

    Que lindo seu relato de parto!
    Leio muita coisa a respeito porque quero muito engravidar este ano e sonho com o parto natural.
    Parabéns pela força. Que Deus abençoe vocês.

  • Reply Ana Marcela Maio 9, 2017 at 3:32 pm

    Que blog gostoso! Amei.

  • Reply Patricia Nunes Maio 9, 2017 at 6:50 pm

    Não teve como não se emocionar, vendo seu relato lembro dos últimos momentos do meu pequeno dentro de mim, realmente é maravilhoso ter um filho.
    Ter essa identificação com o amor que é ser mãe pelo seu blog, me faz me sentir mais perto do meu filho que esta no céu, porém pra sempre morando em meu coração.
    Parabéns Maria, e obrigada por nos proporcionar essa sensação.

  • Reply Mariana Maio 10, 2017 at 5:40 pm

    Lindo mesmo! Deu para sentir todo o amor! 💜
    Amei te conhecer!!!

  • Reply Cris Pinheiro Maio 13, 2017 at 2:47 am

    Falei. Vc não existe. Kkk. Te admiro muito. Que lindo todo o seu relato. Vc é MÃE. .. beijao pelo seu dia domingo e todos os outros dias

  • Reply Jaqueline Sousa Maio 15, 2017 at 4:42 pm

    Se os sonhos não morrem, então é isto mesmo que quero para o meu grande dia!
    Que delícia de história, quanto amor, quanta entrega…
    Ah, Iolanda “safada”, meu Deus! <3

  • Leave a Reply